Da rua ao museu: a leitura do Café

Propaganda difundida em Portugal. Casa Brasileira, um Café , foi referência em cidades européias. Fonte: ADP. 2015. http://www.adporto.pt/
Av. do Café de Ribeirão Preto. A cidade foi importante produtora e exportadora do século XIX e XX. As marcas continuam da cultura vagam pelos muros, pequenos estabelecimentos, entre pés de café plantados na avenida onde guardam lembranças dos trabalhadores das antigas fazendas. Fotos: SMES, 2011.
Representação visual o Museu do Café Cel. Francisco Schmidt, um jovem imigrante alemão qeu tornou-se referencia com o título de Barão do Café. O Museu encontra-se fechado há três anos. É abrigado pela casa de Schmidt, antiga Casa Grande, no complexo cafeeiro tombado pelo estado. A administração do museu é de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, apesar de compor o Patrimônio Cultural da Universidade de São, Campus de Ribeirão Preto. Foto: SMES, 2011.

Museu Histórico de Ribeirão Preto

Planta do Museu Histórico e de ordem geral Plínio Travassos dos Santos. Museu do Café Cel Francisco Schmidt. Ambus ficam situados no Campus da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto. Este museu é de responsabilidade administrativa da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto.
Cel. Francisco Schmidt. Foto do Acervo do Arquivo do Centro de Memória da Unicamp.

Planta do Museu do Café Cel Francisco Schmidt, Campus da Universidade de São Paulo. A USP não tem nenhuma responsabilidade na administração dos dois museus que pertencem à Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto.

Antiga Sede da Fazenda Monte Alegre. Atualmente abriga o Museu Histórico Plínio Travassos dos Santos, de Ribeirão Preto, Campus da Universidade de São Paulo. A Prefeitura Municipal da cidade é a responsável pelo Museu, que não pertence à USP.

JOGOS NOS TRILHOS DO CAFÉ

EDUCATIONAL PRODUCTS

Game “On the Rails of Coffee”

Profa. Dra. Silvia Maria do Espírito Santo

Faculty of Philosophy, Sciences and Letters of the University of São Paulo

TABLE 1. Elements of strategy and composition: Board Project

Final objectives: Educational formation through didactic game
Collective experience of students of both public and private schools
Ages between 5-12 years
Main concepts:
Spatiality:
Territories-Regions-Local
Farms, fields, machine house, warehouse, colony
Station, railway and Ship
Santos City Port
Economy
Production Agriculture and the history of coffee / Driving force /
Social classes relationship within the coffee production
Coffee Processes: Plantation, Production and Processing, Bagging, transportation
Market
Coffee consumption
Trajectories in the game
Paths or circuits of the game characters, characters from coffee’s history
Location design, transportation and difficulties
Starting point: Farms. Arrival: Santos City Port
Driving force: water, human mechanics and electricity
Transportation: Mowing, wagons and trains and ship
Climatic Adversities
Investment and bank credit
Production – quantity – quality


Realiza-se,na Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto, a Feira das Profissões de 2019, sob coordenação da Comissão de Cultura e Extensão e, com isso, há demanda que descrevo no blog acadêmico relativo ao produto educativo desenvolvido parte no Universidade do Porto, sob orientação do Prof. Armando Malheiro da Silva

O jogo sobre a História do Café, baseado no Code Monkey, ocorre no ano de 1900. A ação ocorre em quatro fazendas e três personagens: o fazendeiro e dois trabalhadores livres. O objetivo é chegar ao porto de Santos. As dificuldades enfrentadas são relativas à economia, ao clima, à produção e ao incentivo governamental. As facilidades são surpreendentes!

O jogo foi desenvolvido com apoio da Escola do Inventor, Arinara Ornaghi, bolsista PUB da BCI da FFCLRP e setor do Audiovisual da FFCLRP.

Jogos nos trilhos do Café e Infografia na web para a construção de dois produtos educativos. Ciência da Informação – História – Informação e Jogo

O que é? Produto de pesquisa de Pós-Doutoramento na Universidade do Porto, área da Ciência da Informação, com apoio da FAPESP, sob orientação do Prof. Armando Malheiro da Silva, Universidade do Porto. Portugal.

Feira das Profissões da Universidade de São Paulo. Participação do Projeto Jogos nos Trilhos do Café. Alunos Secundaristas de Ribeirão Preto. Bolsa Pub- bolsista Arinara Ornaghi. Apoio Setor de Audiovisual da FFCLRP

São elementos de estratégia e de composição do Projeto de Tabuleiro e peças do Jogo nos Trilhos do Café, que relacionam a produção do grão, no início do século XX. Observam-se fatores para destinar a produção do café de quatro fazendas (imaginárias) ao Porto de Santos, para exportação para diversos países do mundo. Não é um jogo competitivo mas sim reflexivo a partir das categorias da história social e econômica de produção (plantio, colheita, beneficiamento), dos proprietários, dos meios de produção e mão de obra (ex-escravos e colonos) objetivos no processo complexo do escoamento para exportação no Porto de Santos. Tudo ocorre em 1900.

  1. Objetivos finais: Formação educativa através do jogo didático
  2. Experiência coletiva de alunos da rede pública e privada
    1. Idades de 5-12 anos
  3. Noções principais:
  4. Espacialidade:
    1. Territórios-Regiões-Locais
    1. Fazendas, terreiro, casa de máquina, armazém, colônia
    1. Estação e estrada de ferro e Navio
    1. Porto de Santos
  5. Economia
    1. Produção Agricultura e a história do Café/Força motriz/
    1. Relação das classes sociais na produção cafeeira
    1. Processos do Café: plantação, produção e beneficiamento, ensacamento, transporte/
    1. Mercado
    1. Consumo do Café
  6.  Trajetórias no jogo
    • Corredores ou circuitos dos figurantes do jogo, personagens da história do Café
    • Desenho da Localidade e Transportes e Dificuldades

7.  Ponto de partida: Fazendas. Ponto de Chegada: Porto de Santos

8.  Força motriz: água, mecânica humana e da eletricidade

9.  Transportes: muares, carroças e trem e navio

Feira das Profissões da Universidade de São Paulo. Participação do Projeto Jogos nos Trilhos do Café. Alunos Secundaristas de Ribeirão Preto. Sérgio Bueno da Faculdade de Física e Profa. Dra. Geraldine Bosco, Matemática, Presidente da Comissão de Cultura e Extensão. FFCLRP. 30 de maio de 2019 . Apoio: Setor de Audiovisual da FFCLRP, Escola do Inventor – Ribeirão Preto

Projeto Fachadas do Passado *Em 2019.

Araraquara, Ribeirão Preto e Sertãozinho participam simultaneamente do dia internacional dos museus em 18 de maio de 2019.

Projeto ‘Fachadas do Tempo e Acervos Históricos’ acontece em rede intercidades para museus, arquivos e bibliotecas no interior de São Paulo e visa destacar instituições na projeção do passado em parceria com a FFCLRP da Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto, Bolsa Unificada da Pró-Reitoria de Extensão, Centro Municipal de Memória de Sertãozinho, Abatur de Jornal da Vila e TV Record

Araraquara

Em Araraquara, como dito, temos a Lei Municipal – Semana dos Museus – em decorrência do projeto Fachadas do tempo, ao Dia Internacional dos Museus, com ações agregadas, na coordenação de Théo Bratfisch

Para 2019, nosso tema será Dinossauros, ainda que temos o MAPA Museu Arqueologia e Paleontologia 

https://www.facebook.com/MAPA-Museu-de-Arqueologia-e-Paleontologia-de-Araraquara-424335281026295/

 Na fachada do Museu Voluntários da Pátria será projetado filme lúdico em 3D com dinossauros, como sonorização ambiente dos ruídos dos bichos, além de  instalações das pegadas dos dinossauros  e   situações inéditas propostas pelos museus e por Theo.

Será afixado placa de homenagem ao Prefeito Lafayte que colocou o chafariz na praça do Museu Voluntários da Pátria e agora o monumento está em frente o museu. 

Preservação de pegadas de dinossauros vira lei em Araraquara

Segundo levantamento da UFSCar, Araraquara tem mais de mil pegadas de dinossauros cadastradas

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Arqueologia/noticia/2019/03/preservacao-de-pegadas-de-dinossauros-vira-lei-em-araraquara.html

Araraquara aprova lei para preservar pegadas de dinossauros  

http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/jornal-da-eptv/videos/t/edicoes/v/araraquara-aprova-lei-para-preservar-pegadas-de-dinossauros/7474428/

Pesquisador que encontrou pegadas de dinossauros em Araraquara retorna à cidade 

http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/jornal-da-eptv-2edicao//videos/v/pesquisador-que-encontrou-pegadas-de-dinossauros-em-araraquara-retorna-a-cidade/2639839/ 

Calçadas de Araraquara contêm pegadas fossilizadas de dinossauros

https://recordtv.r7.com/jornal-da-record/videos/calcadas-de-araraquara-contem-pegadas-fossilizadas-de-dinossauros-06102018

Sertãozinho

Em Sertãozinho. A programação está em elaboração e será divulgada brevemente. Envolvem-se Centro Municipal de Memória, Bibliotecas Públicas e Museu Histórico, na coordenação de Leandro Aprile

Ribeirão Preto

A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, através da Bolsa PUB, em parceria com o Jornal da Vila, Fernando Braga, tem em sua equipe formada com os seguintes membros: Profa. Dra. Silvia Maria do Espírito Santo (BCI-DEDIC) (coordenação), o Prof. Dr. Luciano Bachmann (Física), Romário Pereira (bolsista BCI), Adriana Gastaldi (aluna BCI), com apoio da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto e Câmara Municipal, realizará o evento no quarteirão do Lar Santana, Rua Conselheiro Dantas, n. 984, Vila Tibério.

A proposta, a ser desenvolvida, envolverá a comunidade da vila com histórias, projeções de fotografias familiares, com cópias simultâneas aos visitantes que oferecerem suas imagens.

Os eventos simultâneos nas três cidades ocorrerão  a partir das 19 h do dia 18 de maio de 2019.

Mediação Cultural e o Café

Produtos viáveis

Workshop –
Exposições –

Catálogos –

Nesta sessão irei apresentar algumas ideias, em discussões de interessados, a respeito de conteúdos destinados à mediação cultural frente à sociedade contemporânea. Para quem não sabe mediação  é a ação baseada em princípios humanísticos e éticos, respeitando argumentos, práticas e produtos inovadores dotados de predicados fertizados na vivência dos mediadores brasileiros, com finalidades culturais voltados para às artes  e ciências. O tema café é o significado, abrangência de possibilidades de explorações em subtemas.

  1. Workshop – “Como conjugar fontes documentais da história do Café”.
    -Café Cidade Fazenda Sede Colônia Terreiro Transporte… na voz do colono-
    Área temática do projeto: Ciências da Informação e Documentação
    Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas
    Área: Mediação Cultural (Ciência da Informação)
    Profa. Dra. Silvia Maria do Espírito Santo
    Material didático criado pela autora com apoio de pesquisa de estagiários bolsistas em 2011-
    2012-2013.
    Conteúdo orientador com 16 páginas
    Coleção particular de fotos para exercício
    Tela contendo termos para vocabulário controlado
    Número de participantes: 20
  2. Introdução:
    A experiência conta com o apoio acadêmico a partir do campo da Ciência da Informação, da
    Museologia, da Arquivologia, da História Cultural e das diretrizes para preservação documental
    dos acervos específicos do período da produção cafeeira.
    O trabalho de pesquisa e extensão proporcionará aos participantes da Oficina interagir com o
    “universo” rural do passado e do presente, identificando a documentação visual e nas
    narrativas para organizar produtos como exposições, folders, catálogos e eventos científicos,
    no ambiente urbano.
    Referência: Espírito Santo, S. M. A mediação da informação estruturada em instituições
    culturais. Projeto de Pesquisa e Docência na FFCLRP.
  3. Objetivo:
  • Rememorar a cultura regional do café;
  • Demonstrar a relação dos elementos do complexo cafeeiro na articulação de objetos,
    depoimentos, textos, entrevistas, iconografia e audiovisual;
  • Oferecer ferramentas de pesquisa acerca da memória do café;
  • Conjugar os diversos documentos e narrativas referentes à cultura do café;
  • Produzir um projeto para cidades da região do café;
  • Expor publicamente os resultados oriundos da oficina por veículo digital
  1. Justificativa:
    Este projeto visa estimular a leitura da imagem da comunidade historicamente cafeicultora e oferecer instrumentos aos cidadãos, por meio da documentação histórica e do testemunho oral, através de conhecimentos advindos das análises da imagem e da oralidade. O workshop objetiva o exercício do conhecimento teórico associado às atividades práticas adequadas às condições do ambiente urbano e rural, no mapeamento documental e possibilidade de mediação dos conteúdos informacionais, a partir da temática Café, na Região de Ribeirão Preto entre outras localidades.
    Os fatores da oralidade e da conservação preventiva e tratamentos documentais são formas para adequar a pesquisa científica ao conhecimento da produção do café e da sua simbologia responsáveis pela formação cultural paulista, brasileira e projetada no âmbito internacional.
    Desta forma, procura-se redimensionar os sentidos das formas orais do registro da memória e reconhecer a documentação dos registros analógicos – da informação e dos conteúdos do conhecimento – para apropriação documental e disponibilizá-la em formato de exposição, folder e catálogo. Pretende-se orientar professores, alunos da graduação e pós- graduação, das áreas da História, Sociologia, Biblioteconomia, Ciência da Informação, Museologia, Geografia, Informática, Arquitetura e Agentes Culturais para dominar a elaboração de projetos de extensão cultural, contando com o apoio da pesquisa possível a ser realizada durante a oficina (pelos participantes da oficina), tomando como base experiências e levantamento da oralidade comunitária, da textualidade e fotográfica dos acervos públicos e privados. Almeja-se, assim, que os conhecimentos adquiridos na oficina vigente possam ser empregados pelos participantes nas instituições os quais se vinculam.
  2. Desenvolvimento e cronograma:
    Ações e detalhamento das atividades
    A atividade terá início no levantamento dos instrumentos de pesquisa em bibliotecas,
    Acervos museológicos e arquivos públicos e privados, existentes nas regiões cafeeiras do
    Estado, produzidos desde o surgimento dos núcleos das fazendas e das instituições culturais.
    Nesse sentido, serão apresentados os seguintes levantamentos, explicações e ações:
  3. Indicação para levantamento das Fazendas Históricas e Núcleos da Região do Café. Documentos da materialidade e da imaterialidade da representação do café.
  4. Relação Parcial dos Acervos da região e capitais
  5. Desenvolvimento de quadro para aplicação de diagnóstico institucional e nas fazendas
  6. Identificação de materiais para análise visual (icônica)
  7. Geração, Formato, Volume, Suportes
  8. Relação Parcial das Fazendas históricas da região
  9. Relação Parcial dos Acervos da região e capital
  10. Arquivos Municipais e da capital, Arquivos Estado de SP, – Arquivo Nacional Museu do
    Café de Ribeirão Preto, Museu do Café de Santos, Arquivo Público de Ribeirão Preto, Casa de
    Cultura Rogério Cardoso de Mococa, Museu Paulista Centro de Documentação da Unicamp,
    Centro de Documentação de Sertãozinho entre outras instituições regionais.
  11. ITENS PARA APLICAÇÃO DE DIAGNÓSTICO INSTITUCIONAL
    . GÊNERO/ TIPO OU ESPÉCIES DOCUMENTAIS FORMATO/ SUPORTE/PROVENIÊNCIA/GERAÇÃO DOCUMENTAL ANALÓGICA
    . PRESERVAÇÃO TRATAMENTO/ACESSO
    . VOLUME/QUANTIDADE
    . ENTREVISTAS COM TRABALHADORES E ACERVOS DOCUMENTAIS
    . ELABORAR QUADRO DE ETAPAS DE PESQUISA E NÍVEIS DE MEDIAÇÃO NA
    COMUNIDADE REGIONAL E INTERNACIONAL
  12. Carga horária:
    3 horas/no dia
  13. Público alvo:
    Interessados na cultura do café (produção cafeeira, simbologia, religiosidade, musicalidade)
    O workshop é direcionado ao público do ensino médio e superior (graduação e pós-graduação), envolvendo escolas, públicas e privadas, além de professores, pesquisadores e interessados em geral na pesquisa, histórica e simbólica da região.
    Período de realização prevista
    Data : 17/05/2019
    Horário: 16:00-18:30 h
    Local: CRIP- Bloco 6 –Química. FFCLRP
    Curso Biblioteconomia, Ciência da Informação e Documentação
    Responsável: 2144262 – Profa. Dra. Silvia Maria do Espírito Santo
  14. contato: silesan@usp.br. Turma de 4 -10 alunos.